Irmandade de Némesis

Irmandade de Némesis

A Irmandade de Némesis foi fundada por dissidentes do actual regime político, social e económico que não revêem na brutalidade e indiferença que este demonstra para com o seu próprio povo nem consideram honroso a adopção de uma indiferença permissiva perante o que acontece. Ansiamos pelo renascimento de uma verdadeira Pólis, de uma cultura cidadã plena.

Rejeitamos que haja qualquer solução possível no eixo de disfuncionalidade da sociedade e regime actuais. Não há promessa que possamos acreditar que vá ser cumprida. Não há valor que não seja visto como negociável ou princípio que não seja abandonável. A falta de honra do que existe torna a colaboração política um anátema que toda Irmandade respeitará.

Trabalharemos incansavelmente, até ao último irmão, para conservar aquilo que que de bom existe. Para reconstruir o que já não existe. Para criar o que deveria existir. Tudo para manter viva a chama de uma cultura e civilização dignas desse nome, que os cidadãos sintam de novo orgulho em fazer parte.

Princípios de Némesis

Todos os irmãos estão vinculados a estas virtudes no momento da adesão. Sem a sua vivência não existe verdadeira Irmandade. Admitir a nossa humanidade e a possibilidade de falhar não é uma desculpa para a complacência.

  • Coragem: o medo é o cancro silencioso que nos devora e deve ser combatido no nosso interior e no mundo exterior. Atravessar a escuridão pode ser arriscado mas o preço de abandonar as nossas convicções é demasiado elevado.
  • Honra: A honra consiste em serviço. Nada mais. Acima de tudo há honra no serviço à Pólis. Qualquer outra interpretação é orgulho imerecido.
  • Perseverança: os princípios e leis que este documento funda serão por vezes de difícil aplicação e mesmo explicação aos demais mas tal não lhes retira valor. Pelo contrário torna-os mais preciosos e a sua defesa mais honrosa.
  • Verdade: Os irmãos de Némesis devem viver sem máscaras entre si, evitando as armadilhas do ego. Não devem ocultar o que sabem ser verdade da comunidade mesmo quando isso significa caminhar um caminho mais difícil ou isolado.

Leis de Némesis

Todos os irmãos estão obrigados a seguir e respeitar o espírito deste código. Desrespeito flagrante por parte de um irmão pode e deve merecer julgamento dos seus pares.

1 – Todos dentro da Irmandade são iguais em estatuto sendo a única diferenciação aceitável o serviço que cada qual já prestou à Irmandade. A não descriminação é obrigatória (respeito pelo artigo 13º da constituição portuguesa deve ser total).

2 – A Irmandade é de natureza secular. As duas posições gerais sobre o tema religioso são as seguintes: a) A religião tem o direito de existir em sociedade e b) Deve ser separada do poder político.

3 – A Irmandade não é secreta. Os seus membros são livres de divulgar, ou não, a sua pertença à mesma.

4 – A Irmandade não é um órgão político. Poderá aconselhar e participar em todos os processos cívicos, sociais, económicos mas não é da sua competência deter poder. Esse pertence por direito inalienável ao cidadão.

5 – A simples pertença a um partido político organizado não é factor de exclusão ou expulsão da Irmandade mas será obrigatório um juramento de honra ao irmão em questão. No sentido de se comprometer em primeiro lugar com os Princípios, Leis e acções da Irmandade. Ocupar qualquer cargo além de militante base está no entanto proibido. Uma escolha terá que ser feita: não se servirão dois deuses.

6 – O ganho económico da Irmandade como objectivo da organização está proibido. O ouro compra títulos e falsa distinção mas a verdadeira honra reside apenas no serviço. Qualquer irmão cujos pares o considerem culpado de usar a Irmandade para ganho pessoal será expulso e banido para toda a vida.

7 – Todo o irmão de Némesis está obrigado a reconhecer, e a aplicar nas suas acções, o primado do humano sobre o económico e o institucional. O anti-humanismo, em todas as suas formas, será rejeitado. Tudo o que devore o Homem na sua essência é indigno de existir.

8 – Haverá procura por coerência no pensamento de cada irmão e da Irmandade como um todo. Cada princípio e pensamento devem ser seguidos às suas conclusões lógicas sem temer ou fugir das consequências. Nada será esquecido e todas as lições deverão ser estudadas para referência futura.

9 – A severidade será restaurada ao seu lugar de honra como ferramenta essencial para o bom funcionamento de qualquer sistema que se queira justo. Na proporção da falha assim a pena.

10 – Traição aos Princípios, Leis e acções de Némesis, conforme julgado pelos pares, será punido com a expulsão permanente da Irmandade.

Admissões

irmandade_nemesis@hotmail.com

Abertas a todos os cidadãos portugueses, maiores de idade sem descriminação. Exige-se a concordância a aceitação dos Princípios e Leis expostos.

Para quem não se satisfaz com uma passividade cúmplice com o que vê diariamente. Para quem ambiciona a construção de uma verdadeira cultura cidadã. E acima de tudo: para aqueles que ainda não se esqueceram do que Justiça quer dizer.

Anúncios

23 thoughts on “Irmandade de Némesis

  1. Pingback: Cumpra o seu dever – não vote | Enclave

  2. Pingback: A elite de poder como cancro maligno | Enclave

  3. Pingback: A elite de poder como cancro que promove a corrupção ética | Enclave

  4. Pingback: A elite de poder como uma doença irritante e destrutiva | Enclave

  5. Pingback: A elite de poder como oligarquia decadente e corrupta | Enclave

  6. Pingback: A elite de poder portuguesa vs a classe dominante | Enclave

  7. Pingback: A Elite de poder cheira a podre e está putrefacta, mas ninguém a quer mandar limpar do passeio… | Enclave

  8. Pingback: As sombras mudam de posição | Enclave

  9. Pingback: A elite de poder mundial corrompe, a elite de poder portuguesa corrompe absolutamente… | Enclave

  10. Pingback: The Long Haul | Enclave

  11. Pingback: O adversário estratégico é a patologia dos ricos, das elites de poder e dos lacaios associados | Enclave

  12. Pingback: A elite portuguesa como geração “Eu” | Enclave

  13. Pingback: O fetiche da comunicação | Enclave

  14. Pingback: A formação da opinião pública | Enclave

  15. Pingback: Autonomia e Estratégia | Enclave

  16. Pingback: Os oligarcas portugueses afirmam que a população portuguesa tem culpa. Devemos acreditar neles? | Enclave

  17. Pingback: Portugal, uma democracia de controlo que ataca a democracia dos cidadãos – 1 | Enclave

  18. Pingback: O manifesto em defesa dos interesses dos oligarcas de nacionalidade portuguesa | Enclave

  19. Pingback: E ficaram 27 | Enclave

  20. Pingback: O que estava realmente em jogo | Enclave

  21. Pingback: A vigília de Némesis | Enclave

  22. Pingback: A biopolítica e a casta mercadora | Enclave

  23. Pingback: Critérios totalmente aleatórios pelos quais um grupo pode oprimir e excluir outro. | Enclave

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s